Anitta foi derrotada na ação judicial que movia contra o seu antigo escritório, o K2L, de Kamilla Fialho. Em março, as duas partes não haviam chegado a um acordo após uma audiência de mais de seis horas. Com isso, a cantora terá que pagar R$ 9,6 milhões para a antiga empresária, por decisão da juíza Flávia Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Como a intérprete de “Bang” já tinha tido R$ 3 milhões bloqueados em julho passado, caberá à artista pagar, agora, o resto. Segundo a publicação, Anitta – que teve o seu rosto tatuado por uma fã – pode recorrer. A artista além de romper o contrato com o K2L não pagou a multa prevista no acordo judicial.

A pendenga judicial da funkeira – que não rotula como namoro sua relação com Pablo Morais – e Kamilla Fialho começou em agosto de 2014. Na época, a cantora alegou ter descoberto supostas irregularidades e desvio de R$ 2,5 milhões de suas contas. Em outubro, Anitta foi obrigada a depositar em juízo R$ 5 milhões referente à quebra de contrato.

A funkeira teve Kamilla como empresária por dois anos e meio. Uma cláusula contratual indicava que a intérprete de “Cravo e Canela” deveria trabalhar por mais seis anos para a dona da K2L.

Reprodução

Reprodução