Superação. Se existe uma palavra que defina bem a trajetória do jovem Adriano Oliveira Gonçalves, 22 anos é essa. Dos sete aos 15 anos, o rapaz trabalhou como carroceiro e catador de lixo, na Lomba do Pinheiro, bairro que nasceu. O perrengue era para ajudar a família, com extremas dificuldades. Junto com o trabalho complicado, apareceu o preconceito.

— Estudava no Heitor Villa-Lobos, na Lomba. E tinha muito preconceito de colegas por causa da minha profissão. Essa época era horrível, cara. Mas é engraçado: esses mesmos caras curtem minha música hoje, explica Adriano.

Sonhador, e inspirado em nomes como o paulista MC Kauan, Bravinho começou a compor algumas letras, nos curtos horários que tinha de folga.

Depois daquele começo de vida complicado, como contamos no início da matéria, Bravinho começa a colher os frutos da batalha e da persistência. Nos dia 20 deste mês, ele vai para São Paulo, gravar clipes de algumas canções e divulgar seu trabalho.

Reprodução

Reprodução