nego-do-borel

Se ano passado, ele gastou R$ 300 mil em sua festa de aniversário, agora, Nego do Borel decidiu entrar para a seleta lista dos que desembolsam R$ 1 milhão por algumas horas de agito e diversão. O funkeiro, que faz parte do movimento carioca da ostentação, completa 24 anos no próximo dia 10, e, no dia 12, banca um rega-bofe para 500 convidados na Mansão Carioca, no Alto da Boa Vista, Zona Norte do Rio.

O local era apenas uma referência de bacanas quando Leno Maycon transitava pelas vielas do Morro do Borel, onde foi criado, na Tijuca, também na Zona Norte da cidade. E, segundo o promoter David Santiago, que organiza a festa, Nego quer tudo junto e misturado. “Tem uma lista com muitos famosos, que inclui Neymar e Gabriel Medina, mas também muitos moradores da comunidade que foram criados com Nego”, explica.

Talvez a comunidade do Borel não encare com muita alegria a festa milionária do funkeiro. É que muitos estão revoltados com o fato do cantor ter fechado, há um mês e meio, e sem maiores explicações, as portas da ONG Família Nego do Borel. A atitude foi tomada após divergências do cantor com a mãe, Roseli Viana, que comandava a entidade, fundada há um ano. Nego, inclusive, pedia aos amigos de “Malhação” uma força para o espaço.

A organização atendia cerca de cem famílias carentes com cursos de capacitação e incentivo a esportes, como futebol e boxe, além da entrega de cestas básicas e festas em datas comemorativas. Tudo bancado com o salário de R$ 3,5 mil que Nego recebe como ator de “Malhação” e dos shows que realiza. O projeto contava com 15 voluntários. O EXTRA falou com Alguns deles, que confirmaram o fechamento da ONG.

Para acalmar os ânimos, no dia 10, data do aniversário, Nego promove um jogo de futebol beneficente na quadra da Unidos do Borel e pede doações de latas de leite para a comunidade.